Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2017

Postagem em destaque

O catador de livros

Ele era só mais um entre tantos numa capital urbana. As vidas transpassando entre passos e descompassos; prazos e atrasos; em meio a percalços e descalços; tratos, maltratos e maus-tratos.

E lá estava ele.

Sucumbindo à dureza da cidade que ergue edifícios que arranham os céus e rebaixa pessoas arrastando-as ao chão. Não era culpa desta cidade, ora pois! Todas têm suas riquezas e pobrezas; suas alegrias e tristezas; suas tolices e suas destrezas; suas bondades e suas maldades; suas mentiras e suas verdades.

Mas nesta, lá estava ele!

Com a roupa do corpo e uma sacola na mão caminhava mesmo sem chão. Não tinha teto, mas a esperança era o seu abrigo. Não tinha rumo e o horizonte era o seu destino. Não tinha pressa, mas o tempo era seu inimigo.

A noite caía, a gente se recolhia, o silêncio ensurdecia.

E lá estava ele.

O sol nascia, a gente surgia, o silêncio findaria.

E lá estava ele.

Todo dia era a novidade que se repetia, a mesmice que persistia, o propósito que se esvaía.

Faminto!

Feliz…

Parada obrigatória

Imagem
Saber a hora de parar...

Talvez esta seja a maior de todas as sabedorias.
É um desafio! Principalmente nos dias de hoje em que prevalece a máxima do “nunca desista”, "foco, força e fé" etc.
Veja bem, não é minha intenção afirmar que deve-se desistir, não acreditar e sequer lutar. Não, de forma alguma!

Só que é importante pensar bem para não confundir a fraqueza da desistência com a sabedoria da parada.

Muitos de nós por não conseguirmos ter este discernimento ficamos presos em algo que não nos realiza, não edifica e nem frutifica. E isso acaba nos machucando e muitas vezes minando a nossa autoconfiança e autoestima por termos a sensação de estarmos estagnados.

Reflita comigo: um lutador que já apanhou tanto do adversário, a ponto de possivelmente morrer caso levante e receba mais um golpe. Seu treinador e ele mesmo estariam sendo covardes ao jogar a toalha e reconhecer a vitória do oponente? Será que essa não seria a hora de parar a luta? Não seria um ato de inteligência e d…