Postagem em destaque

O catador de livros

Ele era só mais um entre tantos numa capital urbana. As vidas transpassando entre passos e descompassos; prazos e atrasos; em meio a percalços e descalços; tratos, maltratos e maus-tratos.

E lá estava ele.

Sucumbindo à dureza da cidade que ergue edifícios que arranham os céus e rebaixa pessoas arrastando-as ao chão. Não era culpa desta cidade, ora pois! Todas têm suas riquezas e pobrezas; suas alegrias e tristezas; suas tolices e suas destrezas; suas bondades e suas maldades; suas mentiras e suas verdades.

Mas nesta, lá estava ele!

Com a roupa do corpo e uma sacola na mão caminhava mesmo sem chão. Não tinha teto, mas a esperança era o seu abrigo. Não tinha rumo e o horizonte era o seu destino. Não tinha pressa, mas o tempo era seu inimigo.

A noite caía, a gente se recolhia, o silêncio ensurdecia.

E lá estava ele.

O sol nascia, a gente surgia, o silêncio findaria.

E lá estava ele.

Todo dia era a novidade que se repetia, a mesmice que persistia, o propósito que se esvaía.

Faminto!

Feliz…

Idosos em asilo ensinam inglês para jovens brasileiros

Hoje em dia, mais do que em qualquer outra época anterior, a exigência pelo conhecimento e domínio de um idioma estrangeiro é essencial, principalmente o inglês.

Com a globalização cada vez mais presente em nossas vidas, a língua inglesa tem feito parte do cotidiano de todos. Candidatos com fluência no idioma têm maiores chances e melhores oportunidades profissionais. E pensando nisso, os jovens têm buscado fortemente a qualificação bilíngue.

Analisando este fato, uma escola de idiomas brasileira teve uma ideia muito original, criativa e interessante.

A iniciativa apesar de inovadora é bastante simples: jovens brasileiros dispostos a aprender realizam uma videochamada para idosos americanos que vivem em asilos. O projeto une o desejo de aprendizado dos alunos com a necessidade de ter alguém pra conversar dos “professores”. O resultado é uma conversa que acaba extrapolando o lado didático e ao final da aula todos acabam recebendo não apenas um treinamento de inglês, mas uma grande lição de vida.


Os artigos mais lidos

Como seria sua vida se não existisse o celular