Postagem em destaque

O catador de livros

Ele era só mais um entre tantos numa capital urbana. As vidas transpassando entre passos e descompassos; prazos e atrasos; em meio a percalços e descalços; tratos, maltratos e maus-tratos.

E lá estava ele.

Sucumbindo à dureza da cidade que ergue edifícios que arranham os céus e rebaixa pessoas arrastando-as ao chão. Não era culpa desta cidade, ora pois! Todas têm suas riquezas e pobrezas; suas alegrias e tristezas; suas tolices e suas destrezas; suas bondades e suas maldades; suas mentiras e suas verdades.

Mas nesta, lá estava ele!

Com a roupa do corpo e uma sacola na mão caminhava mesmo sem chão. Não tinha teto, mas a esperança era o seu abrigo. Não tinha rumo e o horizonte era o seu destino. Não tinha pressa, mas o tempo era seu inimigo.

A noite caía, a gente se recolhia, o silêncio ensurdecia.

E lá estava ele.

O sol nascia, a gente surgia, o silêncio findaria.

E lá estava ele.

Todo dia era a novidade que se repetia, a mesmice que persistia, o propósito que se esvaía.

Faminto!

Feliz…

Walter, o gordinho matador

Walter, o gordinho matador / Fonte da foto: Internet
Walter na última partida contra o Flamengo.
Ver um jogo do Goiás e não se impressionar com atacante Walter é quase impossível. Tanto pela sua forma física quanto pela sua qualidade técnica.

O centroavante da equipe goiana está visivelmente fora de seu peso ideal, mas, mesmo assim, assusta qualquer defesa adversária com o seu poder de finalização e sua habilidade.

Ontem, no empate de 1x1 entre Goiás e Flamengo, em Goiânia, pela 14ª rodada do Brasileirão, o camisa 18 do “Verdão Goiano” deu muito trabalho ao sistema defensivo da equipe carioca.

Na única oportunidade que teve na partida Walter fez um golaço de primeira. Além do gol, ele mostrou suas qualidades com belos passes e, principalmente, com uma jogada de craque. O artilheiro rechonchudo girou em cima de Chicão e deu uma “caneta” linda no volante Cáceres. Porém, no segundo tempo, ele ficou visivelmente cansado. Provavelmente devido ao seu excesso de peso.

Walter tem futebol para jogar na maioria das equipes brasileiras, mesmo tendo 24 anos, pesando 92 quilos e com 1,72 metros de altura (segundo o site oficial do Goiás).

Ele não tem condições físicas de aguentar 90 minutos de um jogo oficial de futebol, mas, se ele consegue realizar as proezas mesmo não estando tão atlético, imaginem se estivesse em plena forma?!

Confira os clubes em que Walter já passou:

Internacional: 2008 – 2010
Porto (POR): 2010 – 2012
Cruzeiro: 2012
Goiás – Desde 2012

Assista aos melhores momento do empate entre Goiás e Flamengo pelo Brasileirão 2013:


Gostou do artigo? Não esqueça de compartilhar com os amigos e parabenizar o autor deixando seu comentário! 

Sobre o Autor:
Vinícius Ramalho
Vinícius Ramalho é jornalista formado em 2012. Apaixonado por esporte (principalmente por futebol) e ligado nas mídias sociais.

Comentários

Os artigos mais lidos

Como seria sua vida se não existisse o celular