Postagem em destaque

Tipos de textos jornalísticos

Informativos
Notícia: é o relato puro e simples de um fato ou acontecimento atual de interesse público e de interesse do público;Reportagem: trata-se de uma notícia ampliada, com informações prestadas por mais de uma fonte. A reportagem aborda vários ângulos de um fato, esmiuçando e esgotando o assunto, além de procurar interpretar os acontecimentos;Suíte: matéria com desdobramentos de um fato já noticiado, quando há novas informações sobre o assunto outrora abordado;Entrevista: além de representar a principal fonte de informação para a maior parte das matérias jornalísticas, ela pode ser uma entrevista especial com perguntas e respostas - chamada nas redações de "pingue-pongue" - a uma única fonte (uma personalidade política, econômica, cultural etc.);Nota: uma notícia pequena, que se destina a dar uma informação rápida sobre um determinado fato ou acontecimento. Opinativos
Perfil: é uma espécie de construção da história duma personagem com enfoque num indivíduo ou numa inst…

Como funciona o Budismo e seus preceitos?

A palavra "Budismo" é derivada da palavra "bodhi" que significa despertar. Portanto, para seus seguidores, o Budismo trata-se da filosofia do despertar ou da iluminação.

Fundada há cerca de 2.500 anos pelo príncipe indiano Siddartha Gautama, o Buda, a filosofia budista tem em torno de 300 milhões de adeptos ao redor do mundo. Até o século XIX, a predominância de seus praticantes estava localizada no continente asiático, porém, desde o início do século XX sua abrangência tem se expandido gradativamente.

De acordo com dados do Censo demográfico, realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia Estatística), em 2010, haviam por volta de 200.000 praticantes do budismo no Brasil. O país abriga a maior colônia de japoneses e descendentes fora do Japão, e estes são os maiores responsáveis por trazer a herança de Buda.

Assista o vídeo a seguir, e conheça mais sobre o mundo budista.

Comentários

Os artigos mais lidos

Como seria sua vida se não existisse o celular