Como funciona o Budismo e seus preceitos


O budismo é um sistema ético, religioso e filosófico fundado pelo príncipe hindu, Sidarta Gautama (Buda), por volta do século VI. A palavra "buda" tem origem no dialeto sânscrito e significa "iluminado".

Como surgiu o budismo

Aos 29 anos de idade, o príncipe Sidarta saiu em busca de respostas para o sofrimento humano. Após seis anos de meditação com os monges hindus, não conseguiu encontrar respostas para suas dúvidas. Só então, ao passar sete dias sentado próximo a uma árvore, ele recebeu a "luz" necessária para sua compreensão da natureza do sofrimento. A partir daí, passou seus dias de vida dedicando-se a ensinar a outros o caminho para chegar à "iluminação".

Em que consiste o budismo

"No budismo, nós vamos dizer, a ênfase seria desenvolver relações melhores conosco mesmos, com as outras pessoas, com as autoridades e com a natureza. Isso inclui nós usarmos uma mente mais amorosa e compassiva em que a nossa energia também aprecie a qualidade deles", afirma o lama Padma Samten, do Centro de Estudos Budistas Bodisatva.

A doutrina budista baseia-se nas quatro grandes verdades de buda:
  1. toda existência é insatisfatória e cheia de sofrimento;
  2. a origem da dor é o desejo e o apego, causado pela busca de algo estável num mundo transitório;
  3. somente com o fim do desejo se consegue alcançar o nirvana;
  4. o nirvana só é possível através do "caminho de oito vias".

Caminho de oito vias

  1. fé pura;
  2. pensamento puro;
  3. linguagem pura;
  4. conduta pura;
  5. modo de vida puro;
  6. hábito puro;
  7. atenção pura;
  8. meditação pura.
O nirvana para o budismo é o estado total de paz e tranqülidade em que não existe sofrimento.

Para os budistas, o carma é a lei segundo a qual as ações de uma pessoa determinam sua vida futura.

"Nós temos toda uma outra dimensão onde os pensamentos, as emoções, a própria questão da felicidade e infelicidade são colocadas. Coisas que os cientistas propriamente não vão trabalhar. Então, eu diria que a visão religiosa ou a visão espiritual, num sentido amplo, ela é mais abrangente do que a própria visão científica ou a visão acadêmica", explica o lama Padma.

 Símbolos do budismo

  • Dharmica: é a roda que simboliza o renascimento;
  • Templo: local reservado aos cultos;
  • Bonzo: nome dado aos monges.
"Há uma esfera que não é certa, nem água, nem fogo, nem ar: a esfera do nada. É só aí o fim do sofrimento." -Buda
Os monges tibetanos têm o nome de lama e são vistos como reincarnação dos santos budistas. Quando um deles morre, procura-se a criança em que a sua alma reincarnou.

Apenas o budismo do Tibete está estruturado de forma hierárquica. A autoridade máxima é o Dalai Lama. O atual chama-se Tenzin Gytso.

Ética budista

No budismo há cinco preceitos a seguir:
  1. é proibido matar;
  2. é proibido roubar;
  3. é proibido ter relações sexuais ilícitas;
  4. é proibido dar falso testemunho;
  5. é proibido usar drogas e consumir álcool.
"Consumido pelo desejo ardente, enraivecido pelo ódio, cego pela ilusão, esmagado e desesperado; o homem contempla a sua própria queda, a dos outros e ambos em conjunto." -Buda
"A ética budista é contextual. Ela sempre examina não uma regra pura e simples, mas todo o contexto em volta... O primeiro preceito budista é não matar. Não matar significa muito mais do que não matar homens. Significa não matar nenhum ser inutilmente. Não maltratar nem as plantas. Não matar uma pedra, o que seria destruir uma pedra quando isso não for absolutamente necessário... Pro budismo, o suicídio é desconsiderar a enorme benção que é obter uma vida humana, uma preciosa vida humana. Essa preciosidade da vida humana faz com que, do ponto de vista do zen-budismo, preservar esta vida, levá-la até o seu fim, tentando obter um esclarecimento, uma iluminação, uma compreensão espiritual, seja essencial para a realização humana no seu contato com a vida espiritual. Assim, o que interessa a nós afirmarmos é que o ensinamento budista é, essencialmente: não matar, não causar sofrimento, não pensar em si em primeiro lugar e depois nos outros, não acreditar em nações... em deuses que patrocinam exércitos, não acreditar em nada que produza o sofrimento e a separação dos seres. Este é o ensinamento. A palavra de Buda", declara outro monge budista.

Namastê! 

Comentários