Postagens

Eu vou, eu quero, espero, tolero, reitero.

Ninguém pensa como eu;
ninguém vê o que eu vejo.
Penso o impensável,
vejo o invisível.

É tão óbvio!

Emudeço-me aos barulhos do mundo;
ensurdeço-me nos silêncios da alma.
Calma, ressalva.

Calo-me!

Eu saio, retraio, distraio, contraio.
Recaio!

Ninguém está onde eu estou;
ninguém vai aonde eu vou.
Vagueio no intransponível;
mudo-me no imutável.
Permaneço no transitório.

Avante!

Minha paciência é testada;
minhas necessidades são negligenciadas.

Desejo; despejo; desdém.

Engulo, seco, espesso.

No passo, um tropeço.
No fim, um começo.
No vestir, o avesso.
Na alegria, entristeço.
Pereço!

Jamais!

Da dor, o alívio;
da loucura, o equilíbrio;
da luta, o martírio;
da escuridão, o brilho;
da memória, resquício.

Paz, delírio!

Reconto, aponto, reescrevo.
Sem medo, percebo.

Escolhido, encolhido;
dividido, subtraído.
Traído!

Amado, armado;
multiplicado, somado.
Sumido!

Pensamentos, aos montes!

No cume, a bandeira.
No sol, a peneira.
Na boca, a asneira.
Na jorn…

Leitura minimalista no Chrome

Imagem
Nem todos sabem, mas o navegador Google Chrome dispõe de uma opção nativa para tornar a leitura nas páginas da web mais simples e minimalista. Com ela, é possível organizar a bagunça e remover elementos de poluição visual, como propagandas, deixando apenas o conteúdo de interesse e ler de forma mais focada livre de distrações.

Esta função precisa ser ativada nas configurações do aplicativo e é tratada como um recurso de acessibilidade. Para ativá-la, siga este procedimento:






Tipos de textos jornalísticos

Informativos
Notícia: é o relato puro e simples de um fato ou acontecimento atual de interesse público e de interesse do público;Reportagem: trata-se de uma notícia ampliada, com informações prestadas por mais de uma fonte. A reportagem aborda vários ângulos de um fato, esmiuçando e esgotando o assunto, além de procurar interpretar os acontecimentos;Suíte: matéria com desdobramentos de um fato já noticiado, quando há novas informações sobre o assunto outrora abordado;Entrevista: além de representar a principal fonte de informação para a maior parte das matérias jornalísticas, ela pode ser uma entrevista especial com perguntas e respostas - chamada nas redações de "pingue-pongue" - a uma única fonte (uma personalidade política, econômica, cultural etc.);Nota: uma notícia pequena, que se destina a dar uma informação rápida sobre um determinado fato ou acontecimento. Opinativos
Perfil: é uma espécie de construção da história duma personagem com enfoque num indivíduo ou numa inst…

Termos técnicos do telejornalismo

Cabeça: é o texto do apresentador chamando a matéria;Off: é o texto narrado pelo repórter ou pelo apresentador durante a matéria sem que ele apareça no vídeo;Passagem: assim como no off, é o texto do repórter narrando a matéria, com a diferença de que ele aparece em frente à câmera;Sonora: é a entrevista feita durante a reportagem;TC (Time code): é tempo da reportagem;TC In (Time code in): é o tempo de entrada na reportagem para a inserção de algo, por exemplo, o nome do entrevistado;TC Out (Time code out):é idêntico ao TC In só que refere-se ao tempo de saída na reportagem;GC (Gerador de caracteres): trata-se do grafismo geralmente no rodapé do vídeo creditando o entrevistado, cinegrafista, repórter, arquivo, datas etc;Sobe som: é um trecho da matéria em que a imagem é apresentada com o som ambiente ou outro som sem texto narrado pelo repórter;Assinatura: refere-se ao momento quando o repórter encerra a matéria citando seu nome e o respectivo jornal ou veículo a qual a reportagem foi…

O catador de livros

Ele era só mais um entre tantos numa capital urbana. As vidas transpassando entre passos e descompassos; prazos e atrasos; em meio a percalços e descalços; tratos, maltratos e maus-tratos.

E lá estava ele.

Sucumbindo à dureza da cidade que ergue edifícios que arranham os céus e rebaixa pessoas arrastando-as ao chão. Não era culpa desta cidade, ora pois! Todas têm suas riquezas e pobrezas; suas alegrias e tristezas; suas tolices e suas destrezas; suas bondades e suas maldades; suas mentiras e suas verdades.

Mas nesta, lá estava ele!

Com a roupa do corpo e uma sacola na mão caminhava mesmo sem chão. Não tinha teto, mas a esperança era o seu abrigo. Não tinha rumo e o horizonte era o seu destino. Não tinha pressa, mas o tempo era seu inimigo.

A noite caía, a gente se recolhia, o silêncio ensurdecia.

E lá estava ele.

O sol nascia, a gente surgia, o silêncio findaria.

E lá estava ele.

Todo dia era a novidade que se repetia, a mesmice que persistia, o propósito que se esvaía.

Faminto!

Feliz…

Nordestinês

Nordestino não é rico; ele é estribado. Nordestino não é competente; ele é desenrolado. Nordestino não acha uma coisa ruim; ele acha paia/peba/fulêra. E se for péssima, é paia/peba/fulêra demais. Nordestino não faz uma coisa com determinação; ele bota pra descer. Nordestino não vai embora; ele pega o becocapa o gato. Nordestino não é pegador; ele é raparigueiro. Nordestino não é vacilão; ele é tabacudo. Nordestino não é corajoso; ele é arrochado. Nordestino não sente medo; ele bate pino. Nordestino não é convencido; ele é pabuloso. Nordestino não é teimoso; ele é maluvido. Nordestino não tem pressa; ele passa desembestado. Nordestino não é feio; ele é o cão chupando manga. E se for bonito ele é um filezim– essa é das antigas! Ou melhor, antiga não, ela é do tempo do ronconcoim. Para o Nordestino, uma coisa não explode; ela dá um pipôco! Se uma coisa for muito boa, ela é o pipôco do trovão! Nordestina não é puta; ela é quenga. Nordestino não é apressado; ele é afoito. Nordestino não…

Ela era especial

Ela tinha a doçura de uma menina e a sensualidade de uma mulher. Era pequena, mas seu caráter a agigantava. Sua timidez contrastava com o seu corpo que exalava promiscuidade.
Coxas lisas, macias; quadris largos salientados pela cintura fina que detinha o impressionante poder magnético de atrair às minhas mãos. Sua barriga e seu umbigo também não passavam despercebidos. Seios pequenos, porém firmes, que encaixavam-se perfeitamentes nas minhas mãos; na minha boca. Ainda lembro da harmonia de sensações que isso provocava nela: podia-se perceber suas contrações, sua respiração pesada, ofegante; e principalmente a intensa taquicardia do seu coração que um dia fora meu. Assim como a sua boca. E que boca! Lábios doces, macios, bem delineados e perfeitamente assimétricos. Os quais se apartavam ligeiramente para exibir seu lindo sorriso quando seus olhos caramelo brilhavam de felicidade ao avistar-me chegando. Ai, aquele sorriso! Tenho certeza de que até hoje consegue o que quiser com ele. Po…