Cantores de hoje e sempre: 11 artistas que marcaram a história da música brasileira


Hoje não é dia do músico. Não faleceu ninguém que esteja relacionado à música (exceto às artes em geral, o saudoso Paulo Goulart, de uma família de artistas, que descanse em paz, certo de que fez um bom trabalho durante a vida). Não foi lançado nenhum single – não que eu saiba... – e o dia a dia da música prossegue permeado por “Lepo Lepo” e outras curiosas – e divertidas, por que não? - manifestações musicais. Mas não, não vim falar sobre elas.

Vim falar hoje, especificamente, sobre os cantores que marcaram época e sobre os quais eu, há muito tempo, pretendia falar. Eles bailam em nossa memória como o recordar de sonhos bons. Atrelados às nossas lembranças de infância ou adolescência, marcando passagem com músicas inesquecíveis: os cantores de hoje e sempre são um patrimônio cultural e emocional de nossas vidas.

Você pode gostar ou não, mas vai dizer que não se lembra da música de Nelson Ned, “Tudo passará”, tocando no velho rádio de seu avô numa tarde tranquila de domingo? Nelson faleceu recentemente, deixando uma legião de fãs. Antevendo seu fim certo, deixou em sua cidade natal um primoroso acervo de sua carreira, para deleite de seu fiel público. Na mesma linha de Ned, havia também o cantor Jessé - dele alguém se lembra? – que iniciou sua carreira como crooner em boates, alcançou o estrelato no festival da canção de 1983 com a música Estrela de Papel e ficou conhecido por sua interpretação singular de Porto Solidão. Diz a lenda que até hoje ninguém conseguiu cantar a referida música tão bem quanto ele. Será?

Nem só de mortos vive a nossa música, para a nossa felicidade. Naquela época, em plena ascensão, encontramos Sydney Magal, com sua impagável Sandra Rosa Madalena e sua dança sensual. Ele ainda hoje circula pela mídia em comerciais e algumas aparições na TV (inclusive, para quem não sabe, eis aqui uma curiosidade: recentemente, Magal emprestou sua voz ao personagem El Macho do desenho Meu Malvado Favorito 2. Os trejeitos latinos do personagem casaram perfeitamente com a voz marcante de Sidney). Quem quiser pode falar mal, mas Sydney Magal é sem dúvida um artista de peso, que surgiu num cenário propício - afinal as décadas de 70 e 80 foram efervescentes de cultura em nosso país – e se firmou enquanto artista popular e músico.

Também no time desses cantores – sem pretender aqui elencá-los por gênero, mas sim por sua influência no mundo musical - podemos citar Lulu Santos, que hoje em dia é o técnico do programa The Voice Brasil, e que soube se inovar como cantor e como músico. Suas composições antigas continuam fazendo sucesso, mas Lulu traz a elas nova roupagem e arranjos, cativando assim um público novo e mantendo fiel o antigo, que se embalou ao som de músicas como De repente Califórnia, Sereia, Como uma Onda e outros hits.

E Guilherme Arantes, com a famosa Planeta Água? Também dele é a música Meu mundo e nada mais, que fez parte da trilha sonora da novela Anjo Mau, de - !!! – 1976. Está ficando velho demais pra você? Então vamos um pouco mais pra frente, quando Briafra lançou seu sucesso Sonho de Ícaro. Se você não se lembra de seu lançamento, certamente se lembrará do episódio que ocorreu em 2009, onde, no momento em que Biafra estava gravando uma entrevista para um documentário e cantando a referida música, foi atingido acidentalmente por um parapente. Ele, logicamente, levou tudo com bom humor.

Veja o vídeo de Biafra sendo atingido pelo parapente:

 Já que estamos falando de momentos engraçados, lembremos então de outra grande cantora, Vanusa. Logicamente, não por acaso, a cantora foi um sucesso nas décadas anteriores: sua voz possui um timbre único - lindo, tietagens a parte - especialmente na música Manhãs de setembro. A despeito de eventos nos quais esqueceu a letra de algumas canções, a cantora não se fez de rogada e, tempos depois, estava gravando um comercial para a Visa, fazendo piada dos próprios revezes. Segundo a própria cantora, em declaração a um site, a gravação do referido comercial foi uma superação, já que lidava com um evento que ela considerou muito desagradável. Mas, vamos combinar Vanusa, para quem, ao longo de sua carreira, lançou 23 discos e vendeu mais de 3 milhões de cópias, não há que se provar mais nada pra ninguém não é mesmo? 
Vanusa se atrapalha ao cantar hino nacional. Assista:  
Há vários outros artistas que fizeram época e marcaram a sua passagem de forma definitiva no mundo musical: Ney Matogrosso, Jair Rodrigues, Moacyr Franco – diretamente da vitrola da sua avó, “seu amor ainda é tudo, tudo!”, Alcione, Emílio Santiago...Entre vivos e mortos, muitos queridos para lembrar.

Não era intenção desse artigo falar sobre um gênero musical específico, ou levantar alguma bandeira sobre melhor ou pior gosto musical. O que eu gostaria é de, justamente, revirar o baú em busca desses grandes artistas que marcaram toda uma geração. Porque, goste ou não, queira ou não, qualquer uma das músicas citadas acima deve pairar na sua mente em algum momento de sua vida, atrelada à alguma lembrança... 

Ouça a belíssima música Tudo Passará, de Nelson Ned:

Cursos 24 Horas

Cursos Online

 Gostou do artigo? Não esqueça de compartilhar com os amigos e parabenizar o autor deixando seu comentário!


Sobre a Autora:
Núbia Granado
Núbia Camilo é professora por formação, cantora por hobby, jornalista freelancer e escritora por paixão. Mas, o que gosta mesmo é de pensar sobre a vida e de uma boa conversa...

Postagens mais visitadas deste blog

Como seria sua vida se não existisse o celular